"Não mói com águas passadas,

o moinho, diz o refrão.
Como é dos mais diferentes

o moinho do coração..."

Logradouro Belle Époque


Páginas

sábado, 30 de maio de 2009


Logradouro


“Fiz uma casinha branca lá no pé da Serra pra nós dois morar...
A paisagem é uma beleza eu tenho certeza, você vai gostar!
Fiz uma capela, bem do lado da janela, pra nós dois rezar...
Quando for dia de festa, você veste o seu vestido de algodão!
Quebro meu chapéu na testa, para arrematar as coisas do leilão...
Satisfeito eu vou levar, você de braço dado, atrás da procissão!
Vou com meu terno riscado, uma flor do lado e meu chapéu na mão!”

Logradouro
A casa sendo construída (1949)...

Tempo de OURO e de muita riqueza:
De AMOR, de PAZ e de Harmonia...
Um tempo cheio de ALEGRIA,
de SONHOS e de BELEZA!

(Claudia de Goes)

Claudia goes
O casamento em 28/09/1950,
na casa do Sítio BREJO,
em Guaramiranga - CE.

Claudia Goes


“Ainda que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos, e não tivesse AMOR, seria como o metal que soa ou como o sino que retine.
E ainda que tivesse o dom de profecia, e conhecesse todos os mistérios e toda a ciência, e ainda que tivesse toda a fé, de maneira tal que transportasse os montes, e não tivesse AMOR, nada seria.

E ainda que distribuísse toda a minha fortuna para sustento dos pobres, e ainda que entregasse o meu corpo para ser queimado, e não tivesse AMOR, nada disso me aproveitaria.

O AMOR é sofredor, é benigno; o AMOR não é invejoso; o AMOR não trata com leviandade, não se ensoberbece.

Não se porta com indecência, não busca os seus interesses, não se irrita, não suspeita mal;

Não folga com a injustiça, mas folga com a verdade;

Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta.

O AMOR nunca falha; mas havendo profecias, serão aniquiladas; havendo línguas, cessarão; havendo ciência, desaparecerá;

Porque, em parte, conhecemos, e em parte profetizamos;

Mas, quando vier o que é perfeito, então o que o é em parte, será aniquilado.

Quando eu era menino, falava como menino, sentia como menino, discorria como menino, mas, logo que me tornei homem, acabei com as coisas de menino.

Porque agora vemos por espelho em enigma, mas então veremos face a face; agora conheço em parte, mas então conhecerei como também sou conhecido.

Agora, pois, permanecem a FÉ, a ESPERANÇA e o AMOR, estes três, mas o maior deles é o AMOR.” 

1 Coríntios 13:1-13



Claudia Goes
A casa pronta e a dona dentro dela!

“Ninho de amor à sombra dos rosais,
Onde vive a serrana a ser amada,
Mais feliz e mais ditosa que uma fada
Viveria em palácios ideais...”
(Esperidião de Queiroz Lima)


Claudia Goes

“O justo anda na sua integridade;
bem-aventurados serão os seus filhos depois dele”.
Provérbios 20.7


Os filhos chegando...


Claudia Maria


a primeira dos onze filhos...
do e da Maria!


"Uma Simples mulher existe que,
pela imensidão de seu amor, tem um pouco de Deus;
e pela constância de sua dedicação, tem muito de anjo;

que, sendo moça pensa como uma anciã e, sendo velha ,
age com as forças todas da juventude;
quando ignorante, melhor que qualquer sábio desvenda os segredos da vida e,

quando sábia, assume a simplicidade das crianças;
pobre, sabe enriquecer-se com a felicidade dos que ama,

e, rica, empobrecer-se para que seu coração não sangre ferido pelos ingratos;
forte, entretanto estremece ao choro de uma criancinha,

e, fraca, entretanto se alteia com a bravura dos leões;
viva, não lhe sabemos dar valor porque à sua sombra todas as dores se apagam,

e, morta tudo o que somos e tudo o que temos daríamos para vê-la de novo,
e dela receber um aperto de seus braços, uma palavra de seus lábios.
Não exijam de mim que diga o nome desta mulher se não quiserem que ensope de lágrimas este álbum: porque eu a vi passar no meu caminho.
Quando crescerem seus filhos, leiam para eles esta página:

eles lhes cobrirão de beijos a fronte; e dirão que um pobre viandante,
em troca da suntuosa hospedagem recebida,
aqui deixou para todos o retrato de sua própria Mãe."

Don Ramon Angel Jara - Bispo de La Serena -Chile

Meu pai e eu... a cumplicidade desse
nosso olhar, durou a vida inteira! 
O primeiro batizado...

realizado na capelinha de São José,
no interior da casa do Sítio Logradouro.


ministrado pelo
Padre Theógenes Gondim.



Os avós maternos:


Arcelino de Mattos Brito
e Noemi Lopes de Mattos Brito


Os padrinhos:
Helena de Mattos Brito Nogueira (Madinha),
Joíla França Barreira e
Eduíno Ellery Barreira (meu tio)

Adelaide Queiroz de Mattos Brito,
minha bisavó materna


Veja História das Famílias QUEIROZ-BARREIRA:













Eu e meu irmão Arcelino Neto

Eu e minha irmã VERA,
amigas pra toda a vida!



Nenhum comentário:

Postar um comentário