"Não mói com águas passadas,

o moinho, diz o refrão.

Como é dos mais diferentes

o moinho do coração..."

Logradouro Belle Époque


Páginas

sábado, 30 de maio de 2009

O Logradouro: A História (primeira parte)




“Mandas-me, ó Rei, que conte declarando
De minha gente a grã genealogia:
Não me mandas contar estranha história,
Mas mandas-me louvar dos meus a glória.”
(Canto Terceiro de Os Lusíadas)

Sítio LOGRADOURO
Guaramiranga - Ceará - Brasil


A primeira casa do sítio construída  em 1905  por
José Marinho Falcão de Goes
(meu avô paterno)   
José Marinho Falcão de Goes
Engenheiro Agrônomo,
formado em Louvain, na Bélgica. 

Identidade de José Marinho

Angelina e José Marinho
*  *  *  *  *  *  *  *

Localizado no município de Guaramiranga, no topo da Serra de Baturité, região Centro-Norte do Estado do Ceará, o
"Sítio Logradouro"

foi adquirido
pelo coronel José Marinho Falcão de Goes,
em 1905, início do século passado,
da firma francesa Boris & Frères, por trinta e cinco mil contos de réis.

A História: O sítio Logradouro pertenceu ao português Manoel José D'Oliveira Figueiredo, da Fazenda Bom Sucesso, o famoso Coronel Figueiredo dono das Moedas que fizeram história... Com o fim do primeiro ciclo do Café ele se viu com muitas dívidas e em 1904 entrega a propriedade aos seus credores, os Boris. Em 1905 meu avô compra o sítio aos franceses...

Veja detalhes da historia das Moedas no Blog:
http://sitiosaoluiseaserradebaturite.blogspot.com.br/2010/09/breve-historia-da-serra-de-baturite.html

José Marinho Falcão de Góesnasceu em Quixadá no dia 21 de Fevereiro de 1876.
Era filho de Gaudioso Simão de Castro Góes e de Joanna Lydia Barreira Marinho Falcão de Góes (filha do coronel José Marinho Falcão e de dona Maria de Jesus Barreira, prima do Dr. Ignácio Barreira Nanan).

Eram seus irmãos:

- Júlia Barreira Marinho de Góes (casada com o Prof. Júlio Holanda, primeiro professor em Guaramiranga)
- Maria de Góes Queiroz Lima, tia Mariinha (casada com Dr. Esperidião de Queiroz Lima, médico, poeta e escritor)
- Francisco (Goezinho)
- Clotilde de Goes Queiroz Lima (casada com Dr. João Batista de Queiroz Lima, irmão do Dr. Esperidião, ambos filhos do Dr. Arcelino de Queiroz Lima, e de Dona Rachel de Queiroz Lima, donos da Fazenda Califórnia, em Quixadá, ver:
HISTÓRIA das Famílias QUEIROZ-BARREIRA - A Califórnia

Meu avô José Marinho ficou órfão de pai aos nove anos de idade, sendo ele o mais velho de seis irmãos. Sua mãe, dona Lydia, recorreu ao seu cunhado Dr. Adolpho Siqueira Cavalcante, pernambucano, primeiro juiz da comarca de Quixadá e casado com sua única irmã Maria Marinho Siqueira Cavalcanti (Nenen), para orientá-la nos negócios e na administração das propriedades deixadas pelo seu marido. Como eles não tiveram filhos, ajudaram também na difícil tarefa de criar e educar seus sobrinhos.
José Marinho Falcão de Góes iniciou seus estudos em Quixadá. Depois já em Fortaleza, estudou no colégio do Dr. Anacleto de Queiroz, seu parente, tendo entre seus colegas os irmãos João e José Quintino da Cunha, sendo este último, o conhecido advogado e poeta cearense Quintino Cunha, amizade que ele conservou por toda vida. Concluiu o curso colegial aos 17 anos, em 1893, quando embarcou para a cidade de Louvain, na Bélgica, juntamente com vários outros quixadaenses, entre eles o Dr. Eurico Olimpio e o professor Júlio Holanda (o colégio da CNEC de Guaramiranga tem seu nome, por ter sido ele o primeiro professor da Vila de Guaramiranga), que casou com sua irmã Júlia Barreira Marinho de Góes.
Em Louvain, estudou no colégio “La Trè Santinitré”, dirigido pelos padres Josefitas, onde permaneceu por cinco anos até 1897, quando se formou Engenheiro Agrônomo aos 21 anos de idade.
De volta da Europa, o jovem engenheiro foi morar no Sítio São José, propriedade de sua mãe em Guaramiranga, que até então havia sido administrada pelo Dr. Adolpho Siqueira, seu tutor. Em 25 de maio de 1901 casou-se com sua prima Angelina de Góes Saldanha Ellery (Angelina Ellery Marinho de Góes), filha de Eduardo Saldanha Ellery e Angélica de Castro Góes.
O casal ficou residindo no Sítio São José até 1904.
Em 1905 o coronel José Marinho adquiriu o sítio Logradouro dos Boris & Frères, por trinta e cinco mil contos de réis, e depois de construírem ali uma modesta casa, mudaram-se para lá.
O casal não teve filhos e perfilhou o sobrinho de Angelina, José, que ao nascer foi registrado por seu pai legítimo com o nome de:

José Ellery Barreira,
adotando posteriormente o nome de:

José Ellery Marinho de Góes (Zelito).


JOSÉ, em 23/10/1925 - 2 anos


Minha avó Angelina (á esquerda da foto),
atrás de meu avô José Marinho,
sentado, com meu pai no colo.

JOSÉ (Zelito) meu pai


JOSÉ em 23/10/1933 - 10 anos








José Ellery Marinho de Góes (Zelito)


Meu pai nasceu na manhã do dia 23 de outubro de 1923, às 06:30 h de uma terça feira, na residência oficial do DNOCS, um chalezinho que ainda hoje existe no final da parede principal do açude do Cedro, em Quixadá. Foi registrado por seu pai com o nome de JOSÉ ELLERY BARREIRA, no dia dia 25 de outubro, em Quixadá. Batizou-se no dia 13 de novembro de 1923.
Seu pai, o Dr. Ignácio Barreira Nanan, morava ali onde trabalhava como Engenheiro Agrônomo residente.
Foi o 11° filho do Dr. Barreira e de Córa Ellery Barreira. Sua mãe Córa faleceu uma semana após o parto, aos 39 anos de idade, em 31 de outubro de 1923, deixando viúvo o Dr. Ignácio Barreira com seus dez filhos ainda muito pequenos.
No dia 14 de novembro de 1923, meu pai foi entregue aos cuidados de sua tia Angelina, irmã de sua mãe.
Angelina era casada com o Engenheiro Agrônomo José Marinho Falcão de Goes, primo de seu pai.
Eram seus irmãos:
Eduardo, Ignácio, Juarez (falecido ainda criança), Angélica, Eduíno, Juarez, Adalberto, Violeta, Iridéia e Margarida Maria.


* * * * * * * * * * * * *

Essas anotações foram transcritas de uma caderneta de uso pessoal do meu avô Ignácio Barreira:

"Casei-me no dia 2 de fevereiro de 1904 a uma hora da tarde, no Sítio Espírito Santo no Alagadiço, em Fortaleza. Eu com 24 anos e a Cora com 19 anos.
Nosso primeiro filho:
Eduardo
Nasceu no dia 22 de dezembro de 1904, no Cedro, às 8 1/2 horas da noite de 5ª feira; Registrado em Quixadá no dia 24. Batizou-se em Fortaleza no dia 2 de fevereiro de 1905, sendo padrinhos seus avós maternos: Eduardo e Angélica Ellery.

Ignácio
Nasceu no dia 28 de fevereiro de 1906, no Cedro às 7 e 1/2 horas da manhã, 4ª feira, registrado em Quixadá. Btizou-se no dia 19 de abril de 1906, no Cedro, sendo padrinhos seus avós paternos, Coronel Nanan e dona Mulatinha.

Juarez
Nasceu no dia 26 de agosto de 1907 às 12 horas da manhã no Sítio Espírito Santo no alagadiço em Fortaleza. Batizou-se no dia 9 de outubro de 1907 em Quixadá, sendo seus padrinhos, Arcelino e Francisca Barreira.

Angélica
Nasceu no dia 18 de fevereiro de 1909, às 2 horas da tarde, em Maranguape (serra). Batizou-se nos Palmares no dia 19 de abril, sendo padrinhos, José e Angelina Marinho.

Eduíno
Nasceu no dia 16 de dezembro de 1912, às 4 1/2 horas da tarde, nos Palmares; Registrado em Quixadá no dia 18 de dezembro. Batizou-se nos Palmares a 19 de abril de 1914 sendo seus padrinhos Dr. Coelho Sobrinho e Sarah.

Juarez
Nasceu no dia 25 de julho de 1914 a 1 hora da manhã, no Sítio Giráu; Registrado em Guaramiranga no dia 25 de setembro, batizou-se no mesmo dia, sendo seus padrinhos Dr. Piquet Carneiro e Adília Barreira.

Adalberto
Nasceu no dia 19 de outubro de 1916 às 10 1/2 horas da manhã, 5ª feira, à Rua Dona Isabel, em Fortaleza; Registrado no dia 28 de outubro em Fortaleza. Batizou-se no dia 16 de dezembro de 1916, sendo seus padrinhos Dr. Couto Fernandes e Dona Zuleica C. Fernandes.

Violeta
Nasceu a 26 de maio de 1918 às 9 horas da manhã, domingo, à Rua dona Isabel, em Fortaleza; Registrada no dia 28 de maio em Fortaleza. Batizou-se no dia 16 de fevereiro de 1920, em Fortaleza, sendo seus padrinhos, Dr. Sula e Ydalba Barreira.

Iridéa
Nasceu a 20 de março de 1920 às 6 horas da manhã, sábado, registrada a 5 de abril de 1920 em Fortaleza. Batizou-se a 23 de maio de 1920, Domingo do Espírito Santo, sendo seus padrinhos, Francisco Barreira e Otília Barreira.

10° Margarida Maria
Nasceu a 21 de agosto de 1922 às 9 horas da manhã, 2ª feira, registrada em Fortaleza em 22 do mesmo mes. Batizou-se no dia 6 de novembro em Fortaleza, sendo os padrinhos, Gonzaga e Santinha.

11° José
Nasceu a 23 de outubro de 1923 às 6 1/2 horas da manhã, 3ª feira, no Cedro; Registrado no dia 25 em Quixadá. Batizou-se a 13 de Novembro de 1923, sendo seus padrinhos, João Firmino e Nenem.

14/11/1923 - A Angelina levou-o, dei-o porque não tinha mãe, e assim Deus quis...

* * * * * * * * * * * * *

Até 30 de outubro de 1923, vivemos na mais pura felicidade, esta quebrada para sempre, com a morte que separou-nos em 31 de outubro de 1923.
A Cora era dotada de tantas e tão boas qualidades que só eu no convívio de 19 anos, 8 meses e 29 dias, pude bem apreciá-la, e quanto mais dias se passavam, outras qualidades descobria, chegando muitas vezes de ogulhar-me dela. As qualidades da Cora, são dignas de serem imitadas, e peço aos meus filhos que nunca se esqueçam dela.
Barreira
31/10/1923"

* * * * * * * * * * * * *

O Dr. Barreira, depois de viúvo, casou-se em segundas núpcias com sua cunhada Ana de Góes Ellery (mais conhecida como Nóca), com quem teve uma única filha a quem deu o nome de Cora, em homenagem à sua primeira esposa, irmã de Ana e de Angelina.

* * * * * * * * * * * * *

Meu avô Ignácio Barreira Nanan

Minha avó Cora Ellery Barreira
Ignácio Barreira Nanan,
nascido em 16/02/1880, faleceu em 03/11/1932, aos 52 anos de idade.

Cora Ellery Barreira,
nascida em 19/04/1884, faleceu em 31/10/1923, aos 39 anos de idade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário